Felicidade, fim último (télos) e perfeições humanas no Comentário sobre a República de Averróis

Rosalie Helena de Souza Pereira

Resumo


No Livro II do Comentário sobre a República, Averróis discute o fim (télos) do homem com base na doutrina de Aristóteles. Como o homem é político por natureza, o seu fim (télos) antecede a ele, na medida em que ele é parte da cidade. Esse fim (télos) é o da cidade e é único para todos os seus habitantes. Com base na ética de Aristóteles, Averróis identifica esse fim com a felicidade. Atingir o verdadeiro fim, que é a felicidade, consiste em atingir a perfeição por meio de ações no convívio com os demais. A discussão sobre o fim leva o Comentador a discorrer sobre a educação do governante, pois esta depende do propósito a que se destina o seu governo, já que, como afirma Averróis, “se é ignorado o fim, ignora-se a via que conduz a ele”.

Palavras-chave


Averróis; fim humano; felicidade; perfeições

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.