Transmutação do mythos e possibilidades linguísticas do logos no poema de Parmênides

Renato Cesar Cani

Resumo


O artigo investiga a relação entre mythos e logos no poema de Parmênides. Os caminhos parmenideanos do Ser e do Não-Ser são interpretados como metáforas estruturadoras, de modo que o elemento mítico – lógica de ambivalência – prepara o surgimento do não-mítico – lógica de não-contradição. A partir da ideia de transmutação do mythos, proposta por Couloubaritsis, sustentamos o argumento de que a aplicação da linguagem mítica ao contexto da busca do ser humano pelo conhecimento consiste na condição de possibilidade para a emergência de distintos níveis linguísticos no poema, dentre eles o discurso significante.

Palavras-chave


Parmênides; mythos; logos; discurso significante; lógica de ambivalência

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.