A redescoberta de Orígenes na reflexão filosófico-política entre os séculos XIV e XVI

Marco Rizzi

Resumo


O texto procura mostrar como Orígenes, tido como apolítico, a partir de sua leitura do Novo Testamento e especialmente das cartas de Paulo aos Romanos 13,1 e de Mateus 22,21, trata dos limites da submissão da alma às autoridades terrenas, algo necessário enquanto não se dá o fim da história, quando cessará o combate cósmico entre Cristo e o diabo. Essa leitura de Orígenes foi retomada por Ambrósio e depois reproposta na Idade Média e no Renascimento por pensadores como Marsílio de Pádua, Erasmo e Melanchton. Ademais, a leitura de Orígenes influenciou a iconografia representativa do dito “dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”.

Palavras-chave


Orígenes; potestas; religião e política; livre-arbítrio

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.