Nietzsche e a reforma metodológica da filologia: o problema da cientificidade no contexto dos estudos clássicos

Eduardo Nasser

Resumo


Nietzsche não foi um filólogo convencional comprometido com as diretrizes dominantes da filologia de seu tempo. Isso se deve à sua solicitação heterodoxa de uma “filologia filosófica”. Essa nova filologia prevê não só que os estudos de antiguidade clássica devem ser entendidos como um veículo para se colocar “grandes questões”, mas também que tais estudos prosperam num momento posterior ao reconhecimento do filólogo enquanto “sujeito do conhecimento”.

Palavras-chave


filologia; filosofia; método; teoria do conhecimento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.