A virtude pode ser ensinada? Uma aproximação a partir dos diálogos platônicos de Mênon, Protágoras e Eutidemo

João Cardoso de Castro, Rodrigo Siqueira-Batista

Resumo


A questão da aretê – termo traduzido usualmente como virtude – é uma das temáticas mais discutidas na filosofia de Platão. Desenvolvida por exercício ou constitutiva da natureza humana, a aretê grega ainda carece de uma definição precisa. No presente artigo vamos nos debruçar sobre o conceito de virtude em Platão, tendo como objetivo uma aproximação da questão: “a virtude pode ser ensinada?”.

Palavras-chave


virtude; aretê; Platão; educação

Texto completo:

PDF

Referências


Textos Antigos

PLATÃO. A República. Introdução, tradução e notas de Maria Helena da Rocha Pereira. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1987.

____________. Mênon. Texto estabelecido e anotado por John Burnet. Tradução de Maura Iglésias. Rio de Janeiro: Ed. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro / Edições, 2001.

____________. Eutidemo. Texto estabelecido e anotado por John Burnet. Tradução de Maura Iglésias. Rio de Janeiro: Ed. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro / Edições, 2001.

____________. Protágoras. Tradução de Ana da Piedade Elias Pinheiro, Lisboa: Ed. Relógio D´Água Editores, 1999.

PLATO. The Dialogues of Plato. Translated by Benjamin Jowett. London: Oxford University Press, 1952.

Obras Exegéticas e Textos Complementares

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. Trad. Alfredo Bosi. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRUN, Jean. Platão. Trad. Filipe Jarro. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1985.

BRISSON, Luc. Platon. Oeuvres complètes. Flammarion, Paris, 2011.

CAEIRO, A. A Arete como possibilidade extrema do humano, Lisboa, INCM, 2002.

CORNFORD, F. M. Principium Sapientiae: As origens do pensamento filosófico grego. Tradução de Maria Manuela Rocheta dos Santos. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1989.

____________. Antes e Depois de Sócrates. Tradução de Valter Lellis Siqueira. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

CORMACK, Michael. Plato’s Stepping Stones: Degrees of Moral Virtue. London, 2006.

DINUCCI, Aldo Lopes. Princípios epistemológicos do elenchus socrático. Revista Trilhas Filosóficas, Ano II, número 2 jul.-dez. 2009.

FRANCA, LEONEL. Noções de História da Filosofia. Rio de Janeiro: Agir Editora, 1955.

FREIRE, Antonio. Teísmo helênico e ateísmo atual.

GOBRY, Ivan. Vocabulário grego da filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

HEIDEGGER, Martin. A caminho da linguagem. Trad. Márcia Sá Cavalcante Schuback: Petrópolis, Vozes, 2003.

JAEGER, W. Paideia: A Formação do Homem Grego. Tradução de Artur M. Parreira. 3a ed. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

KRAUT, Richard, "Plato", The Stanford Encyclopedia of Philosophy (Spring 2015 Edition), Edward N. Zalta (ed.), forthcoming URL = .

LIMA, Henrique V. Escritos de Filosofia IV: introdução à ética filosófica. São Paulo: Ed. Loyola, 2006.

MARCONDES FILHO, Danilo. Iniciação à história da filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. 4. ed. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2000.

TRABATTONI, Franco. Platão. São Paulo: Ed. Annablume, 2010.

SIQUEIRA-BATISTA, Rodrigo. O nascimento da filosofia: uma peça em três atos. Lugar Comum (UFRJ), v. 33-34, p. 215-225, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.