A constituição poético-filosófica do si-mesmo: o estoicismo nas tragédias de Sêneca

Luizir de Oliveira

Resumo


Para os filósofos estoicos existe uma profunda ligação entre filosofia e poesia, esta como inesgotável fonte de ensinamentos acerca da linguagem correta e das verdades morais. Observar o omportamento dos “heróis trágicos” oferece uma oportunidade de nos tornarmos conscientes das nossas escolhas morais e dos mecanismos que as regulam, como nos mostra Sêneca que, em suas tragédias, procura desvelar os inescrutáveis espaços da psique humana. Ao “desnudar” a alma de suas personagens, ele nos convida a refletir acerca do que subjaz aos desconhecidos motivos para agirmos como agimos. A constituição do si-mesmo perpassa necessariamente esse enfrentamento, como procuramos mostrar neste trabalho.

Palavras-chave


Estoicismo; Tragédia; Sêneca; o em-si-mesmo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.