O tempo em Platão: os meandros da leitura heideggeriana

Eduardo Nasser

Resumo


Pretende-se mostrar a importância que a filosofia de Platão exerce sobre o desenvolvimento de certas noções do pensamento heideggeriano, em especial antes da década de 1930. Pode-se dividir a obra de Heidegger em dois períodos, relativamente às suas apreciações sobre Platão, portanto, sua visão do filósofo não é redutível a uma única interpretação. A crítica feita a ele, à época da “viragem” (Kehre), não obscurece sua apropriação positiva de Platão na obra Ser e Tempo. A pergunta pelo sentido do ser ali feita é a repetição, afinal, de um problema gerado pelo platonismo.

Palavras-chave


ser; tempo; platonismo; metafísica

Texto completo:

PDF PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.