A pólis democrática: a “solução grega” para a fragilidade da ação

Rodrigo Ribeiro Alves Neto

Resumo


Apresentamos uma interpretação da teoria da ação política desenvolvida por Hannah Arendt na obra A Condição Humana. A capacidade de agir é analisada a partir de sua extrema fragilidade, inerente às condições humanas da natalidade e da pluralidade. Pretende-se demonstrar de que modo, a fim de superar essa fragilidade da ação, a Antiguidade grega pré-filosófica instaurou a experiência democrática da polis. Muito mais que uma mera mutação nas organizações sociais antigas, a fundação da polis é uma autêntica instauração do político ou do advento do plano político, cujo domínio de experiência é a liberdade.

Palavras-chave


democracia; Antigüidade; ação; liberdade

Texto completo:

PDF PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.